foto3

Município sedia o Workshop Capacitar 2018

O Salão de Eventos do Parque da ACCIE, sediou nesta quinta (17), o Workshop Projeto Capacitar 2018, promovido pela Coordenadoria Municipal de Proteção Civil, que tem como coordenador, Natival Ribeiro de Freitas Júnior. Esta é a 4ª edição do Projeto Capacitar da região de Passo Fundo.

Na oportunidade, a presença de prefeitos e vices prefeitos da região do Alto Uruguai, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros, Cruz Vermelha, vereadores, secretários municipais e representantes da Defesa Civil de vários municípios.

Nos depoimentos, a importância da Defesa Civil para fazer com que as pessoas que acabam sofrendo por alguma situação devido a ação do clima, sejam atendidas prontamente, ou seja, deve-se potencializar os atendimentos.

Em sua manifestação, o vice prefeito Marcos Lando destacou a importância da Defesa Civil para o município e região no auxílio da comunidade nas mais diferentes situações que são apresentadas, principalmente pela ação do tempo. “Devemos estar aptos para auxiliar as pessoas”.

Usando da palavra, o Coordenador Municipal da Defesa Civil, Natival de Freitas Júnior fez um apanhado da Defesa Civil de Erechim, ou seja, como estava antes da nova gestão municipal assumir e a atual situação, seja com relação a equipamentos, como metas e ações. Também detalhou as ações realizadas pela Defesa Civil local.

O Projeto Capacitar baseia-se em noções básicas em proteção e defesa civil e em gestão de riscos, balizando-se em temas como o Contexto Geral da Gestão de Risco, A Atuação dos Municípios, Noções Gerais para Elaboração de Plano de Contingência, O Modelo de Plano de Contingência no Sistema Integrado de Informações Sobre Desastres, Etapas para Elaboração de um Plano de Contingência, Etapa para Organização de Simulados, como Gestão de Desastres, Decretação e Reconhecimento Federal e Gestão de Recursos Federais em Proteção em Defesa Civil.

O princípio das atividades de proteção e defesa civil no Brasil e no mundo está intimamente relacionado a questões de segurança em tempos de guerra, mais especificamente durante a Segunda Guerra em que os danos materiais e humanos dos conflitos ultrapassam o meio militar, atingindo gravemente as populações civis.

Foi então que os governos passaram a criar instituições responsáveis pelo atendimento dessa população, vítima dos efeitos. Daí que o início dessa história corresponde a ações de resposta, atendimento a populações afetadas, realizadas, principalmente por instituições de origem militar. Com o passar do tempo, essas instituições foram sendo adaptadas à realidade das demandas de segurança e proteção das populações.

Hoje, novas diretrizes e perspectivas apontam para a tendência de pensar as instituições de proteção e defesa civil e a gestão de risco a partir de um processo de construção social.

Fonte: http://www.pmerechim.rs.gov.br.